contador

Hits Since February 12, 2007!

Free Hit Counter by Pliner.Net

Tradutor

Seguidores

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Poemas tristes



Meus poemas soam
tristemente.
Sou paisagem triste,
verde ausente...
em dias frios.
Sou rio!
Pelos meus olhos passam águas
e meu leito dissolve mágoas...
que me permite correr.
E, assim, tenho vivido...
de poemas tristes.
Cada vez mais tristemente!
E, no verde ausente,
sou mais uma flor
a morrer.








Crédito da imagem- Rui Pires
http://lamegoimage.blogspot.com

10 comentários:

Mariazita disse...

Olá, Fátima
Concordo. Os seus poemas são, dum modo geral, tristes, mas muito belos!
Grande tristeza é ver uma flor morrer (pelo menos para quem adora flores, como eu...)

Beijinhos, querida, e uma linda flor para seus cabelos

Nilson Barcelli disse...

Gostei muito do poema.
Mas não acredito em nada do que escreveste...
Porque és uma paisagem alegre aos meus olhos...
Fátima, querida amiga, tem um bom resto de semana.
Beijo.

Fátima disse...

" O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração"
Fernando Pessoa...
Com carinho

Fátima Pessoa

Sonhadora disse...

Minha querida

Como esse poema veio de encontro ao profundo da minha alma...e a tristeza também pode ser bela, como este poema.

Beijinho com carinho
Sonhadora

hesseherre disse...

Postar um comentário para quê se o censuras e eliminas....nada democrático, linda.

Fátima disse...

Eu LINDA?
Sou feia, muito FEIA!

hesseherre disse...

Aquele teu velho espelho embaçado e cheio de manchas que compraste da Madrasta?! Joga fora.
És linda porquê derramas tua beleza de dentro para fora.....só tu não notas, por trás desta flor.

Fátima disse...

Meu caro amigo Dr. Sérgio qualquer dia eu saio de trás( detrás) desta flor e mostro meu rosto.
Prefiro mostrar minha alma.
Sim, eu vivo brincando
e escrevo poemas tristes.
Sou contraditória como as flores.

Com carinho
da
Fátima

Morte Filosófica disse...

Gostei muito desse poema, reflete muito do que sou, em tempo integral.
Meu blog também é assim, afinal, escrevemos o que somos.
Parabéns pela expressividade dos seus poemas.

Anônimo disse...

Em meio a sorrisos, uma falta de direção que talvez nos leve a suspiros, a lágrimas
e finalmente ele consegui nos tornar em algo útil que grita e não se cansa tendo como arma as palavras compreensiveis ou não, mas são minhas. Seja ela bonita ou não! Pois pra mim não importa visto que
a beleza se revela não por ser a mais bela, mas porque sua essênciafaz com que ela cresça e ocupe seu devido lugar.
Gostei de seu blog.
continue escrevendo...