contador

Hits Since February 12, 2007!

Free Hit Counter by Pliner.Net

Tradutor

Seguidores

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Estranho ser

Ele era estranho...

tão estranho que a própria estranheza assustava.

Andava por cômodos sombrios e sentia frio ao próprio tato.

O fato é que era estranho.

Passou a vida assustando o próprio ser.

Conseguiu um único bem querer,

matou um amor sincero e puro

Era inseguro, trazia insegurança...

e viveu nessa matança...

tentando matar o que não aceitava.

Odiava...a própria existência!

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

O culpado e a flor

Ele culpava porque culpava a própria vida.
Era uma ferida que causava dor.
Tornou maior quando partilhou o segredo,
ficou com medo da fala da flor.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Por quê?

Venta lá fora...
E antes de eu ir embora questiono o porquê de a vida ser assim:
Tenho levado sempre de mim às pessoas que eu amo e sempre amei.
Amo como se eu fosse partir hoje, com certeza amanhã...
Procuro entender, amar e se preciso perdoar...
Não entendo desentendimentos...
E o meu questionamento é sempre: Por quê?

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Venta lá fora... E antes de eu ir embora Tenho questiono o porquê de a vida ser assim: Tenho levado sempre de mim Para as pessoas que eu amo e sempre amei Amo como se eu fosse partir hoje, com certeza amanhã... Procuro entender, amar e se preciso perdoar... Não entendo desentendimentos... E o meu questionamento É sempre: Por quê?

segunda-feira, 15 de julho de 2013

" Alzência "


Como você se sentiria se sua mente

de mente ausente ficasse

e se procurasse coisas desordenadas

e voltasse com coisas que nem procurou?



E se você olhasse com olhar perdido

para jardins floridos que sempre olhou

e não encontrasse nenhum sentido

nenhuma diferença entre o mato e a flor?



Tenho pensado e, muito, me entristecido.

Talvez eu não tenha vivido o suficiente

para entender que pessoas adoecem.



E algumas esquecem

e apagam da memória

a própria história.





sábado, 11 de maio de 2013

O cordeiro e o lobo

Eles eram ruins...
E " ele " era ruim e complexado.
Cordeiros e lobos não podiam viver lado a lado.
Mas era uma vez um cordeiro...
Que viveu ao lado de um lobo...
A vida inteira !!!
.... calado!


Imagem- Google imagens

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Tempo meu

Tenho estado em estado de alegria.
Como se, a qualquer dia, pudessem me levar.
Vou parar de correr atrás de meu sustento,
percebo que o tempo também pode me parar.

domingo, 31 de março de 2013

A história da páscoa.

E em mais um gesto de humildade
Jesus ensinou que nos amemos uns aos outros...
http://youtu.be/xNN2dUPcFvI

domingo, 10 de março de 2013

Descanso

Já me expus e ao sol me queimei.
Na noite escura clariei
e um preço paguei
pela minha exposição.

Hoje prefiro a solidão, reclusa em mim.
Sendo assim coloco as palavras ao avesso,
tento contemplá-las e percebo que elas têm um preço,
um poder incrível de crescimento e destruição.

Vocês não mais me encontram?
Nem sei se me encontrarão...
Talvez tenha perdido o rumo de mim

Já me expus tanto... Tanto...
Cansei de brincar...
Vou descansar.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

28 de janeiro de 2013

Fitei-o com meus olhos tristes,
como se pudesse despi-lo
... Loucura!
Impossível atravessar aquela armadura.

Na penumbra parecia um espectro de homem.
Alguma coisa desabou.
Amor, cólera, ódio, indiferença, crença...
Que diferença faz?
O tempo passou.

E o amor...
Ah, o amor...
Todo e qualquer sentimento
veio abaixo.
No chão, feito pedaços, acabou.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Inferno e medo

Nos dias que antecede a sua ida ao inferno
o demônio o possui...
e, de olhar demoníaco, se incendeia.
Penetra e me rodeia,
queima-me possuído!
Tiro o vestido ao calor da quente chama
e enrolada ao lençol rolo na cama.
Não consigo dormir...
Tenho medo do demônio!


Crédito da imagem- Google imagens

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

O amor acaba em parceria

O amor acaba...
e não acaba de repente.
Acaba, tão somente,
pelo acúmulo de migalhas.

" O amor é uma coisa triste,
quando só restam migalhas...
dedo em riste, dedo em riste,
a apontar as falhas!

O amor é uma coisa triste,
quando só resta cangalhas...
só um chiste, só um chiste,
e o diabo gargalha..."


Contribuição espontânea da Casa da Çogra.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

O amor

O amor acaba.
E não acaba de repente...
Acaba, tão somente, pelo
acúmulo de migalhas.

domingo, 6 de janeiro de 2013

Pinheiro

Era uma vez um Pinheiro
que não era árvore...
Era um Nome.
Vestia um homem,
cheirava terra.
Tinha duas bolas
 e um ponteiro.
ERA UM PINHEIRO!
Mas não era árvore...
Era um nome,
era um homem.