contador

Hits Since February 12, 2007!

Free Hit Counter by Pliner.Net

Tradutor

Seguidores

segunda-feira, 29 de março de 2010

A verdade




Vou contar-lhes a verdade.
A mais pura verdade da minha vida:
Respiro minhas tias como se tivessem de partida.
Tenho tanto medo de perdê-las.
Se eu tivesse uma forma de detê-las.
Eu pediria que não me abandonassem.
Ou que de um penhasco me jogassem
no momento da despedida.

E se me perguntarem
porque escrevo assim de forma trágica.
Direi que sinto a aproximação de uma névoa misteriosa.
Que poe em risco o jardim da Rosa.
Vem de outra dimensão.
E eu me agarro ao que tenho
de mais sublime em meu coração:
Aquela casa, aquele lugar, minhas Tias!

Durmo impaciente, tenho sonhos agitados, pesadelos.
Por elas todo o meu amor, o meu maior zelo.
Acordo tropeçando em ruídos sonolentos.
E sinto tamanho tormento...
Abro a janela para poder respirar
E obter do dia a claridade.
Eis aqui a minha verdade:
Sinto medo!

Elas estão em mim.
Estou delas impregnada.
Eu não tenho para onde fugir.
Sou tão egoísta...
Sem elas eu não sou nada.

4 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Sobrinha assim, nenhuma tia tem...
Ou foram elas que a obrigaram a escrever este poema, com uma pistola apontada à sua cabeça...?
Uma excelente semana para vc.
Beijos.

(Apollo_onze) disse...

Cada ser humano tem muito bem guardado em seu coração, aquele tesouro de valor incalculável mas, por muito que nós o guardemos existe e sempre existirá o terrível medo que mais dia menos dia o destino nos acabará por o vir a surripiar deixando-nos assim, na mais profunda das tristes misérias sentimentais. Mas até isso acontecer, devemos sem duvida alguma preservar, usufruir e sentir o máximo orgulho neste tal tesouro que todo ser humano guarda até ao limite em seu coração.

Excelente texto os meus sinceros parabéns tanto por este texto como também por outros que aqui li.

Obrigado pela sua visita ao meu "cantinho" e bem-haja pelo seu tão amável e lindo comentário nele deixado.

Mil poéticos beijinhos até breve...

Fátima disse...

Tadinhas, que pistola que nada!
Elas são tão abençoadas...
Não precisam andar armadas.
Obrigada à todos pela visita.

Anônimo disse...

Tia,
lindo o texto e a foto tirada da janela do quarto mostrando o jardim.... me deu uma saudade!
Curta bastante os momentos que tiver com elas, só isso nos resta!
Beijos!!!!!
Ana.