contador

Hits Since February 12, 2007!

Free Hit Counter by Pliner.Net

Tradutor

Seguidores

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Meu passado me pertence








Meu passado me pertence!
Mas, eu também, sou tempo do agora.
Transo com o presente.
Mas o melhor gozo foi embora.
Ficou lá... no passado!

Quando perco o sono,
remexo em entulhos guardados.
Com uma pá eu remexo...
remexo... remexo...
Vejo a madrugada, por mim, passar!

Vou ao frigobar
E pego uma gelada:
Bavária, Bohemia, Brahma...
Que importa?

Original, crystal, Skol...
Fico falante!
Falo... falo... Falo comigo!
Nossa, como me canso!

E, às vezes, eu não quero mais me escutar.
Não durmo, espero o sol chegar.
Que encanto...
É o galo...
É o canto!

Saio inteira da noite indormida.
Me celebro a mais florida
Rosa
No jardim da manhã.


Com carinho
Rosa de Fátima
3 de setembro de 2010- 18:22 hs


Este é meu poema- comentário,
em resposta a postagem " eu+eu= ? " do poeta Ediney Santana.

3 comentários:

rouxinol de Bernardim disse...

Excelente. Passado, presente, tudo são coisas nossas. O futuro? Será de Deus... ou doutra Entidade que tudo supervisiona...Será?!

A dúvida vagabundeia no pensamento de todos os que são suficientemente lúcidos para a fazerem germinar...

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

Gostei da posição do texto no blog..um passado puxa outro então
leia uma entrevista comigo
aqui
http://revistamuito.atarde.com.br/

OUTONO disse...

A vida...numa essência de reflexão...
Poema bem conseguido.
Obrigado pela visita.
Beijinho.