contador

Hits Since February 12, 2007!

Free Hit Counter by Pliner.Net

Tradutor

Seguidores

segunda-feira, 13 de junho de 2011

O amor acaba


O amor acaba
quando o diálogo dá lugar a um som surdo
e ouve-se um mudo do outro lado da casa.
Quando deita em pensamentos estranhos...
e dimensiona medos tamanhos em pesadelos!

E acaba o carinho e acaba o zelo.
E diferente compassa o coração.

Sonhos dão lugar à razão fria.
Tão fria quanto às mãos quentes de outrora.
Percebe-se que os sentimentos bons vão embora
E, com eles, acaba a alegria.
O tesão da vida a dois esfria.
E o estar ao lado desse alguém...
não lhe faz mal, mas também, nenhum bem.

Pequenas virtudes passam a ser grandes defeitos.
E o leito de amor você vê transformado...
em dois seres solitários, cada um de um lado.
E, ainda, na esperança de um depois...
Encontra a desesperança.
A angústia de estar em dois.
Dois seres tristes...
Machucados!
Cada um de um lado.
Solitários.
Acaba!


15 comentários:

Roy disse...

Muito triste. Senti um amor acabar ha um ano, e ate hoje ressinto ele.

Beijos

Roy

M. disse...

Parece que estamos de acordo:) Mas o importante é aproveitar enquanto dura:)

hesseherre disse...

Síntese perfeita do pesadelo de amar sem mais ser amado, na perversa gradação do êxtase inicial à indiferença final de dois seres - ou um deles na relação - eu já pssei por isto, muita gente já passou. Parabens pela tua expressão cristalina deste sentimento que doi mas se ultrapassa.

Poeta Insano disse...

Triste, mas real...

A frieza de uma presença ausente
é imensamente dolorosa.
Tenta-se sempre acreditar que o
verdadeiro amor não morra jamais,
que ele tenha apenas adormecido,
mas as vezes a espera de um intenso despertar, desgasta tanto que não há mais forças para renascer.

Belíssimo texto!

Um abraço!

Cris de Souza disse...

suspeito que os amores mal acabados são os mais tristes.

beijo, querida!

hesseherre disse...

É verdade, as grandes emoções, as grandes obras de todas as naturezas, surgem do desespero, da tristeza,da adrenalina despertada de uma situação não resolvida, repara que não há arte sem que se despertem e provoquem os extremos de nossa sensibilidade...

Catia Bosso disse...

Ah o amor! E quando acaba é porque já foi vivenciado ao extremo... mas que existiu, existiu!!!!

bjaooo

Catita

Poeta Insano disse...

Toda forma de reconhecimento
oferecido a um blogueiro é sempre
bem vinda. Então, compartilho com você
o presente recebido.
Espero sua visita para buscar seu Selo.

Um abraço!

ONG ALERTA disse...

As coisas terminam um dia, beijo Lisette.

A.S. disse...

Fátima,

A pior das solidões é aquela que se sente apesar de acompanhados!!!


Beijos meus!
AL

Graça Pires disse...

A solidão a dois. Como dói...
Beijos.

Sueli Gallacci disse...

O amor pode acabar, a menos que nos dispomos a reconquistá-lo todos os dias... lindo poema, amiga!

Bjobjo.

Álvaro Lins disse...

Lindo...mas triste:)
Bjo

C. disse...

E dizem o amor é eterno... acho mesmo só enquanto durar...
M-a-r-a-v-i-l-h-o-s-o poema!

LUCIENE RROQUES disse...

Não resisti ao ver o tamanho da flor que você carregava em suas mãos, e vim conferir seu jardim. Parabéns pelo espaço.
Um abraço!