contador

Hits Since February 12, 2007!

Free Hit Counter by Pliner.Net

Tradutor

Seguidores

quarta-feira, 13 de junho de 2007

Triste aroma

Ela chega e resgata-nos de forma adversa.
Chega de mansinho ou bruscamente e vai roubando um a um, de forma estranha e misteriosa, cruel!
Meus pais, meu irmão, o filho e o neto de meu irmão, meu amigo, o pai de meu amigo, o marido de minha amiga, o filho de minha amiga... e agora eu sinto que de novo, ela ronda e nos sonda.
Deus, quais os mistérios que tudo isso envolve?
Eu não entendo e diante de tudo isso, eu me rendo.
Tenho muito medo desta ida. Triste partida!
De acordo com a crença, bendita doença que nos leva.
Leva-nos à morada do pai, como oferenda.
Quero crer novamente em Deus pai, que é todo poderoso.
Eu quero crer na dimensão deste eterno, neste despojar do corpo.
Nesta entrega total, neste fluir do espírito. Eu quero voltar a crer!
Dizem que é preciso alguns sofrimentos para a redenção eterna, para o gozo pleno do espírito.
E assim crentes, vivemos na esperança da alvorada serena, em dias de glória. Sublime transformação, ou destruição do orgânico, para a elevação da alma.
Alegre despertar no eterno. A verdadeira vida dispersa no invisível absoluto.
Dizem que, é preciso morrer pra poder viver, pra poder ter um remanso de paz, compensando assim, os infortúnios dos dias de lágrimas, das insatisfações terrenas.
Aprendi que, a nossa libertação e o bem fluir no eterno, está ligado aos nossos atos aqui na terra e dependendo deles, seremos felizes no tabernáculo do Pai, em comunhão do espírito.
Eu quero e preciso voltar a crer!
Mas, devo confessar que, eu não gosto do cheiro da morte.
Gostaria de vê-la como esperança de vida, como gozo pleno, algo sereno.
Mas, eu não a entendo e não gosto quando a vejo rondar.
Não gosto da saudade, da separação, que ela faz.
Sinto medo desta ida, triste e dolorosa partida.
Não consigo entendê-la. Não posso amá-la, nem mesmo aceitá-la.
Não posso!
Triste aroma... triste essência!

2 comentários:

Anônimo disse...

Didi, só agora entrei no Maraláxia .Cheguei de viagem, te liguei de lá, estávamos num restaurante lindo, tomando um vinho maravilhoso num frio danado... como me lembrei de vc nesse dia! Queria muito que um dia viajássemos todos juntos, a turma era muito boa, animadíssima, nos divertimos demais. Saudades de vc. Um beijo da sua sobrinha, amiga e admiradora, Ana.

Gataláxia disse...

Saudades... e um cansaço incrível!
Mas,vale a pena!
Bjs