contador

Hits Since February 12, 2007!

Free Hit Counter by Pliner.Net

Tradutor

Seguidores

domingo, 3 de abril de 2011

Cheiro de domingo

Sinto o cheiro do domingo diferente.
Sinto o cheiro do pão quente
e do adorno do leitão.
Sinto o cheiro do frango cozido.
Do milho, do quintal colhido,
assando na brasa do fogão.
Sinto o cheiro da salsinha, da cebolinha...
E, na salada de tomate, do manjericão.
Vejo o domingo tão antigo...
A mamãe e as tias na cozinha,
as trouxinhas do capeleti feito à mão.
Após a missa a mesa bem colocada,
os assentos nas posições tomadas.
O sinal da cruz, a oração.
Hoje, eu vejo o domingo diferente.
Visito meus amores tão cansados, tão doentes...
Sobreviventes! De uma geração onde nada era comprado.
Onde tudo era manuseado com amor.
O domingo tinha cheiro de saúde.
Hoje tem cheiro de dor.
Mesmo assim o domingo com elas, naquela casa,
tem um cheiro gostoso.
Cada vez que volto dele (delas)
Volto com a certeza
de que o domingo tem uma beleza
que me faz lembrar dos bons cheiros de domingo.

15 comentários:

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

nostalgia o que deixa o domingo mais triste do qeu realmente é

A. Jorge disse...

Há sim, cheiros que deixam saudade e relembram bons momentos!

Beijos

Jorge

http://escarniosmaldizeres.blogspot.com/

afonso rocha disse...

Que saudade da quinta da minha avó...quando acordava ao sabor do pão quente...quando as pessoas se conheciam pelo nome...e diziam Bom Dia...e se ajudavam umas às outras...depois aqueles almoços de Domingo...que duravam até à hora do lanche normal...o acender da lareira...o meu tio Joaquim, grande contador de histórias...que saudades das noites latinas...mediterrânicas...com cheiros a rosmaninho...alecrim...tomilho e oregãos...
que saudade....

Boa semana tb Fátima.
Beijo

hesseherre disse...

ah que saudades que eu tenho da aurora da minha terra com muita banana da terra que os preços não trazem mais...snifffff...

Fátima disse...

" Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais!
Como são belos os dias
Do despontar da existência!
— Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;
O mar é — lago sereno,
O céu — um manto azulado,
O mundo — um sonho dourado,
A vida — um hino d'amor! "

Exatamente assim!
Com carinho
Rosa de Fátima Casimiro de Abreu

Rosinha disse...

Saudade,saudade e muita nostalgia, mesmo vivendo de saudade, vamos vivendo com alegria, beijinhos amiga !

Anônimo disse...

REALMENTE MANAFÁ, MAS APESAR DESSE HOJE DIFERENTE, AINDA SINTO CADA VEZ QUE VOLTO DE LÁ, A ENERGIA DO RECOMEÇO, UMA SENSAÇÃO DE QUE NÃO VAI ACABAR NUNCA!
MANOTÓ

Anônimo disse...

MANAFÁ
APESAR DESSAS DIFERENÇAS, AINDA SINTO A ENERGIA DO RECOMEÇO CADA VEZ QUE VOLTO DE LÁ E A SENSAÇÃO DE QUE ISSO NUNCA VAI SE ACABAR .
MANOTÓ

M. disse...

Quase que me fazias gostar do Domingo...Quase!!!!

hesseherre disse...

Fafá, que cultura enorme possuis....eu pensando que estes versos eram do Seu Jorge em parceria com Vinicius de Morais...

Ricardo Calmon disse...

OLÁ POETA E ROSA FÁTIMA:

NESSE REERGUER DE VIDA MINHA,MAIS UMA CIRURGIA,(AGORA 43 )DE ALTA COMPLEXIDADE, SUBSTITUINDO FEMUR E BACIA ESQUERDA , GRATO A ELE E A VIDA,AQUI VENHO,COM BRAÇADAS DE GIRASSOIS, POR ANJOS TRAZIDAS,PARA FLORIR VIDA TUA E AOS QUE AMAS.DIANTE DE DOCE TEXTO COMENTÁRIO TUO,UM MIMO PARA VOCE,ABRA EM MEUS CAMPOS DE GIRASSOIS E VERÁS UM SUPER ROSA E UMA ROSA FÁTIMA.

BZU GIRASSOLICO NESSA ALMA VIVA E FLORIDA TUA!

VIVA LA VIDA

Luís Coelho disse...

Todos nós que regressámos aos tempos dos anos 50/60 já não encontramos paralelo na actualidade.

Hoje parece que tudo mudou e que a família até deixou de existir.
Os cheiros do almoço do domingo desapareceram e com eles aquela oração que todos sabiam de cor antes de se sentarem à mesa.

Lendo este pequeno texto senti um nó que me sufocava a garganta.
Impossível voltar....

Anônimo disse...

Tia, é uma verdade tão doída essa que vc descreveu aqui, né? Adorei o texto, é lindo!
Beijos e boa semana!
Ana.

Mariazita disse...

Nada como os cheiros para nos fazer recordar tempos passados, pessoas, lugares...
E essa nostalgia dos domingos com cheirinhos tão apetitosos comparada com os domingos atuais forma uma grande diferença.
Assim é a vida, tudo passa... mas outras coisas vêm substituir o passado.
Gostei muito deste seu poema.

Boa semana. Beijinhos

tecas disse...

Saudade dos aromas,dos convivios, dos almoços e tardes de Domingo.
O tempo não volta para trás...
Muito lindo o seu poema, querida Fatinha.
Bjito e uma flor.